Produto digital: O que é e como criar um?

Com o advento da internet, sabemos que muitas coisas mudaram e mudam o tempo todo. Inclusive quando tratamos de como o consumo se viabilizou pela internet por meio do produto digital. Você já sabe o que é? Vejamos!

O produto digital é todo e qualquer material produzido em formato digital (vídeo, e-book, podcast, app etc.) e distribuído em meio virtual. Esta é a definição de produto digital, mas iremos conhecer melhor sobre o assunto.

Sabemos que a comercialização do produto digital é um mercado em ascensão, embora muitos não saibam muito bem como produzir algo e como ganhar com isso, mesmo assim, existem muitos produtos no mercado.

Preciso ser profissional da tecnologia para fazer um produto digital?

É importante esclarecer que não é tão difícil quanto parece e você não precisa ser um expert em tecnologia para fazer isso, é necessário que tenha apenas conhecimentos básicos para que o realize.

Como dissemos, não precisa ser um profissional, mas existem alguns critérios básicos para que se torne um produtor digital, são eles:

  • Ser maior de idade;
  • Pense em algo que pode interessar alguém ou a um grupo;
  • Estude a respeito do que pretende criar, faça um esboço e pesquise como será realizado desde o começo até deixar pronto para venda;
  • Quando estiver com o esboço pronto, veja como irá estruturar na prática, se for um vídeo, analise onde será realizada a gravação, o roteiro, iluminação, edição do vídeo etc.;
  • É essencial identificar se a sua ideia atenderá alguma necessidade geral, visto que as pessoas sempre buscam um produto com o intuito de resolver um problema;
  • Confirmando essa necessidade, você pode fazer uma pesquisa de mercado daquele produto que pretende comercializar, saber como está o mercado, se é vendável e quais os principais problemas que as pessoas possuem com aquele produto e que pode resolver;
  • Depois de ter um produto semipronto, teste o produto antes de dispô-lo no mercado;
  • Em seguida é só divulgar o produto, procure conhecer o marketing digital, será muito útil nesse quesito;
  • Sempre procure atualização em todos os aspectos, tanto na questão do seu material quanto na sua própria vida, busque constantes melhorias.

Aprenda a criar um produto digital

Tudo bem, já compreendemos que não precisamos ser profissionais especializados em tecnologia e quais os passos iniciais desse processo, sem qualquer dificuldade. Veja a seguir os passos para criar um produto digital:

  1. O público-alvo deverá ser definido e estudado – É importante estudar bem o que o seu público anseia, o que ele deseja, o que ele não quer, o que quer resolver etc. São questionamentos que precisam ser respondidos urgentemente.
  • O tema deverá ser definido – A questão do tema é mais viável quando você escolhe algo que tem afinidade ou que seja especializado na área. Começando com algo que gosta, fica mais fácil as ideias fluírem;
  • Defina como será o formato do produto que pretende criar, por exemplo, se será por meio de vídeo, um e-book, um app etc. Caso não tenha afinidade com a tecnologia escolhida, procure ajuda de profissionais;
  • Faça um planejamento de como será criado o seu produto – O planejamento deve ser realizado de forma ordenada e bem definida. Defina prazos, confira tudo o que precisa, coloque tudo no papel e execute-os;
  • Procure criar o seu produto de forma autônoma, senão for possível, peça a ajuda de profissionais da área, por exemplo, se for um vídeo, contrate alguém que saiba editar um vídeo, fazer uma boa iluminação, editar etc.;
  • Verifique a forma que pretende comercializar o produto, existem diversas plataformas de infoprodutos que podem hospedar o produto e comercializá-lo, basta procurar uma que atenda as suas necessidades.

Não faço ideia por onde começar, e agora?

Muitas pessoas desejam tanto uma coisa que acabam bloqueando a sua mente para as ideias. A primeira coisa sempre será a paciência, tudo poderá ser feito com calma, analisando os prós e os contras.

Se você tem afinidade com algo, já é por aí que deve começar. Já temos alguma coisa, não é mesmo? Pronto, agora que você pensou em sua afinidade, pense como pode transformar isso em um negócio.

Exemplificaremos, uma pessoa que gosta de cozinhar, enfim, possui o dom da culinária e várias pessoas gostam da sua comida, já descobrimos a afinidade da pessoa.

Sabemos que gosta de cozinhar, agora pensaremos nas maneiras que será trabalhado isso no meio digital. Fazer um e-book de receitas? Vídeos? Vender comidas por apps?

Viu como muitas possibilidades surgem quando pensamos com calma e utilizamos algo que gostamos? Além disso, cozinhar algo diferente pode ser atrativo para muitas pessoas.

Mesmo que você não saiba fazer um e-book de receitas, é possível contratar um profissional que pode realizar esse processo, pode fazer um blog de receitas, vídeos no YouTube etc.

O leque de possibilidades é muito grande, então não se limite, é possível até fazer mais do que um projeto, nada impede que isso aconteça. Só tenha cuidado para fazer um por vez.

Se for realizar um e-book, realize vídeos divulgando o seu material, nada impede que se concretize, mas é preciso priorizar o mais importante, pois não faz sentido fazer o vídeo de divulgação se o e-book ainda não existe, concorda?

Como precificar o produto?

Precificar algo que você está iniciando não é muito fácil, pois não queremos cobrar muito caro para conquistar os clientes, mas, ao mesmo tempo, não desejamos cobrar muito barato e desvalorizar demais o nosso trabalho.

A moderação é a chave de tudo, mas é complicado achar o meio termo para essa questão. Por isso, indicamos que procure conhecer o mercado, por isso é importante.

Conhecer o mercado é conhecer seus concorrentes, isso inclui o preço deles. É essencial saber o preço do mais procurado e do mais simples, pois ambos têm muitas coisas a ensinar.

O primeiro ensina que por ser mais procurado, significa que já tem clientes fiéis e que sabem da sua qualidade, além de estarem dispostos a pagar mais caro, se for o caso, para ter aquele produto que considera melhor.

O segundo ensina que é mais simples e cobra mais barato talvez por dois motivos: por ser inexperiente e está querendo conquistar clientela ou por não ter qualidade, por isso, faz mais barato para aqueles clientes que não são exigentes ou não têm dinheiro para pagar mais caro.

Sabendo dos dois extremos, é possível colocar um meio termo nisso, você não pode cobrar um preço muito alto e nem um preço muito baixo, é importante saber dosar nesse momento.

Outra coisa importante, não abra mão do seu lucro, pois houve investimento e, por isso, precisa ter o mínimo de retorno para que possa reinvestir e, futuramente, quem sabe, obter lucro.

Conclusão

O mundo da internet tem se mostrado muito generoso e democrático, visto que sempre existe uma porta aberta para alguém que deseja entrar, a questão será qual a porta escolher, mesmo não sabendo o que nos reserva para o futuro que pode estar tão próximo.

Se você optar pela porta de vendas de produtos digitais, pode ter certeza de que existirá sempre um lugar para entrar, pois é um lugar com muitas oportunidades e que não há distinção.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.